Violência na República Centro-Africana

msfConhecem a instituição de ajuda humanitária Médicos Sem Fronteira ?

Fiz algumas poucas doações e acabei de fazer mais uma. Recebi correspondência com os seguintes relatos sobre a situação na República Centro-Africana:

“No último mês, tratamos mais de 60 pessoas em Bossanga com ferimentos resultantes da violência, principalmente tiros e golpes de machete, incluindo mulheres e crianças. Mais de 80% das cirurgias corresponderam a ferimentos relacionados ao conflito. As pessoas que fogem estão desesperadas por assistência, bem como pela sensação de proteção que a presença de organizações de ajuda traz.”msf_2

“Desde dezembro de 2013, há uma onda de violência cometidas contra a população. A violência é extrema. De um lado e de outro, casas são incendiadas, entes queridos são violentados, mutilados e assassinados. Famílias que eram vizinhas e conviviam em harmonia, subitamente tornam-se inimigas, instigadas ao medo, e passaram a lutar entre si, por conta dessa disputa político-religiosa. Muitas pessoas estão perdendo tudo que têm e simplesmente correm por suas vidas e se escondem onde for possível. Elas precisam desesperadamente de ajuda. As taxas de mortalidade estão acima do patamar de emergência.”

“O total estimado de deslocados internos – pessoas que tiveram que fugir para outras áreas do país – é de 833 mil, ou seja, milhares e milhares de famílias cujas vidas se resumem a buscar abrigo e sobreviver mais um dia.”

msf_3“Muitas instalações de atendimento existentes na RCA foram destruídas ou saqueadas e a maioria dos profissionais do país também teve que fugir. Algumas de nossas equipes já tiveram que se colocar a frente das unidades de atendimento para evitar que fossem invadidas.”

“Na República Centro-Africana, sobreviver a cada dia é uma vitória. Mas, apesar das doenças e dos conflitos, as pessoas não desistem de viver. Elas precisam de nós. E nós precisamos salvar o máximo de vidas possível.”

Esta entrada foi publicada em Ajuda humanitária. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *