Ufologia

“Se fôssemos os únicos no universo seria um grande desperdício de espaço” Carl Sagan, falando nele:

A UFOLOGIA tem sido estigmatizada pela própria natureza do tema que se propõe estudar. Não é fácil pesquisar um fenômeno que você não consegue repetir, como diria a ciência estabelecida, “nas mesmas condições de temperatura e pressão”. O fenômeno é muito complexo mas ele EXISTE. Esta é a única certeza entre os ufólogos.

Com a evolução da computação gráfica, hoaxs como este prestam um enorme desserviço a Ufologia colocando muitas dúvidas mesmo que um avistamento seja real.

“Discos Voadores” viraram chacota entre muitas rodas mas, existem pesquisadores seríssimos que dedicam sua vida ao estudo do fenômeno, muitas vezes em detrimento de sua própria imagem, são corajosos e destemidos. Para citar os dois grandes pesquisadores brasileiros, existem outros tantos, ADEMAR JOSÉ GEVAERD (editor da Revista UFO) e MARCO ANTÔNIO PETIT.

Tenho participado de um grupo duas vezes ao mês e durante mais de um ano adquiri a Revista UFO para conhecer mais a fundo a temática. Além disso assino a lista do yahoo de mesmo nome da revista. Uma das características do movimento ufológico atual que me atraiu de volta é que para o estudo de um fenômeno tão complexo o movimento precisou se interdisciplinarizar, inclusive em um viés espiritual.

A mais eloquente manifestação ufológica no Brasil ocorreu no final da década de 1970, auge da ditadura militar, que foi batizada Operação Prato ( documentos oficiais ) em que habitantes do povoado de Colares sofreram intervenções em seus corpos provocando a fuga da população desta localidade. A operação foi realizada por militares que instalaram uma base na localidade, e pouca gente sabe disso.

Incluirei nesta página material que ajude a elucidar o fenômeno trazendo mais luz ao que pode mudar totalmente a história da nossa civilização.

Brasil. 19 de Maio de 1986: A Noite Oficial Dos Ovnis

Para os que não sabem, A Noite Oficial dos OVNIs, foi o nome dado por ufólogos brasileiros para um evento que ocorreu na noite de 19 de maio de 1986.  E para os que já sabem, vale à pena relembrar. Cerca de vinte e um Objetos Voadores Não-Identificados foram detectados pelos radares do Centro Integrado de Defesa Aérea e Crole de Tráfego Aéreo pertencentes ao CINDACTA I. Este evento durou aproximadamente três horas, e pode ser observado nos estados de Goiás, São Paulo, Rio de Janeiro e Paraná. No dia seguinte, o Brigadeiro Octávio Júlio Moreira Lima, que era Ministro da Aeronáutica, em entrevista coletiva, juntamente com os pilotos dos caças, confirmou os acontecimentos. Obviamente, os documentos oficiais sobre o caso nunca foram revelados ao público.

Relatórtio oficial e confidencial, na época, da Aeronáutica, aqui.

Veja como o evento foi relatado pela TV brasileira, é compreensível que o vídeo não esteja na mais perfeita clareza mas dá para ter uma ideia da repercussão na época:

Marco Antônio Petit fala sobre evidências de registros de UFOS no programa Mais Você

AVISTAMENTO na ESPANHA                    Documento da NASA

Documentos variados                                    Pedra intriga arqueólogos gaúchos: artigo

Porto Alegre: IV Semana Ufológica , V Semana Ufológica, VI Semana Ufológica

FAB libera documentos sobre aparição de óvnis em São José. aqui 

Palestras de Ademar Gevaerd no Campus Party de SP, ambiente acadêmico que surpreendentemente se interessa pela temática:

Palestra “Abertura Ufológica” de 2012

Palestra “Agroglifo de Santa Catarina” de 2013

Palestra “Ufos na Amazônia e a pesquisa conduzida pela Operação Prato” de 2014. Segundo os organizadores do evento foi uma das palestras que mais atraiu a tenção do público

Entrevista de Gevaerd na FEESP indicando o interesse de diversas correntes pelo fenômeno UFO

Serra do Roncador:

O homem que foi curado por ETs:

 

Punhal alienigena

Astrônomos descobrem o primeiro planeta fora do Sistema Solar com condições semelhantes às da Terra, como água líquida

outroplaneta

A Carta do astrônomo Camille Flammarion para D. Pedro II

camille flammarionCamille Flammarion foi o mais velho de quatro filhos. Aos quatro anos de idade já sabia ler, aos quatro e meio sabia escrever e aos cinco já dominava rudimentos de gramática e aritmética – para os padrões de hoje, seria classificado como “superdotado”. Foi educado em Langres e começou a trabalhar com dezesseis anos de idade no observatório de Paris, no departamento de cálculo de Leverrier.

Sua ruptura com os astrônomos deu-se em 1862, com a publicação do livro “A Pluralidade dos Mundos Habitados“. A partir dessa época, Flammarion começou a escrever livros populares de Astronomia e que foram traduzidos para diversas línguas. Uma de sua obras mais conhecidas é “Astronomia Popular” (1880). Escreveu e editou em uma série de revistas científicas e astronômicas.

No fim de sua vida escreveu sobre pesquisas de física. Em 1883, Flammarion fundou o observatório de Juvisy-sur-Orge, dirigindo-o pelo resto de sua vida, incentivando o trabalho de observadores amadores. Fundou a Société Astronomique de France em 1887. Seus trabalhos para a popularização da astronomia fizeram com que fosse agraciado, em 1912, com um prêmio da Legião de Honra. Contemporâneo de Allan Kardec (considerado como o “pai do Espiritismo moderno”). Este livro contém ensaios sobre as possibilidades de vida em outros mundos e suas características. Camille capturou, com a visão de sua época (século 18), seus pensamentos se houvessem outras Humanidades em outros mundos.

_______________________________________________________________

MahabharataMahabharata é o maior épico escrito conhecido e o segundo mais antigo. Composto por 18 livros, é uma parte fundamental da cultura indiana e conta sobre guerras e deuses – e é muito interessante quando relatam-se as Vimanas, veículos voadores resplandescentes e ruidosos com armas fantásticas, “com o poder de dez mil Sóis” cuja nuvem da explosão “se assemelha a um guarda sol” e cujos efeitos são hoje reconhecidos como envenenamento por radioatividade (queda de cabelos e unhas, deformações evimanas outros). É leitura obrigatória a todo interessado e estudioso de Ufologia, sendo largamente citado entre os defensores da tese dos “astronautas antigos”. O arquivo contém índice de referência e está totalmente em português.

________________________________________________________________

Reproduzo email do Gevaerd sobre o II Fórum Mundial de Contados 2014 ocorrido em Curitiba mas antes sua entrevista:

“Caros amigos.

Informo abaixo uns links de matérias curtas e longas, praticamente todas bem favoráveis, que resultaram da cobertura de nosso II Fórum Mundial de Contatados 2014, feita por inúmeros veículos de comunicação. Ainda neste final de semana saiu uma excelente matéria na revista Isto É, de circulação nacional, que deve levar a todo o Brasil uma ideia bastante realista da presença alienígena na Terra, mostrando que os contatos diretos com seres extraterrestres são reais e muito mais comuns do que se imagina.

Com tamanho resultado de imprensa (e olhem que ainda há muitos outros links), o II Fórum Mundial de Contatados 2014 atingiu seu segundo e igualmente importante objetivo: mostrar à sociedade que pessoas que relatam experiências diretas com ETs, sejam de abduções ou de contatos francos, são absolutamente normais e merecem o respeito de todos. Como consequência natural dessa nova compreensão que a sociedade terá do tema, certamente receberemos mais relatos de novos casos nas próximas semanas.

Abs, Geva”

FAREMOS MESMO CONTATO OFICIAL COM OUTRAS CIVILIZAÇÕES EXTRATERRESTRES ?

Indiscutivelmente, sim. Iremos um dia não apenas estabelecer contato e iniciar intercâmbio com outras inteligências extraterrestres mais avançadas como também passaremos, como espécie, de um nível planetário para um nível cósmico. A questão é: quando e como isso ocorrerá?

Perguntem a 10 ufólogos diferentes e vocês ouvirão 10 respostas diferentes. Cada um pensa de um jeito e não há como dizer, simplesmente, quem está certo e quem está errado. Porque não temos parâmetro algum para basear nossas opiniões e tudo fica no achismo – mas num achismo dentro de certos limites responsáveis.

Bem, a minha opinião, que é baseada na minha experiência de vida lidando com o assunto e acompanhando a evolução do Fenômeno UFO ao longo de 40 anos, é de que o contato com outras civilizações extraterrestres ocorreria a partir da metade do século, ou seja, dentro de uns 30 e poucos anos. Para mim, ele “tem” que ocorrer e explico.

Mas uma luz diferente nesta questão, e imensamente importante, no entanto, foi dada por um notável brasileiro, Chico Xavier, no documentário “Data Limite”, lançado em agosto e sucesso fenomenal em todo o Brasil (vejam link abaixo). Chico diz ter tido uma visão de que o contato pode – vejam bem, pode – ocorrer em cinco anos.

Data Limite:

Em rápidas palavras, Chico, décadas atrás, confidenciou a um pequeno grupo de pessoas, entre eles o veterano espírita Geraldo Lemos, que havia tido a precognição de que, a contar da chegada do homem à Lua, em 1969, a humanidade teria recebido de potências celestes um prazo de 50 anos “para se acertar”.

Caso não se autodestruísse nestas cinco décadas, a humanidade entraria em uma nova fase de sua existência e as tais potências celestes teriam permissão até para se apresentarem abertamente a nós. Bem, este prazo se encerra em julho de 2019, daqui a menos de cinco anos. Pensem nisso.

É importante ressaltar que Chico não era dado a predições e, as poucas que fez, acertou em cheio. Ele evidentemente tinha uma “banda larga” com as entidades espirituais e extraterrestres do “andar de cima”, onde elas se misturam. O que ele falou ainda ecoa por aí e deve ser ouvido com atenção.

Minha impressão é de que ele pode estar certo, sim, mas não que tudo vá ocorrer de uma hora para outra em 2019, e sim, a partir dali, gradualmente, iríamos conhecer a propalada nova fase de nossa existência. Isso é, se no entendimento das tais potências celestes nós passarmos no teste. Há controvérsias quanto a isso. E muitas!

Nesta semana mesmo, o Papa Francisco, que sabe muito mais do que imaginamos sobre estes assuntos, disse que “já vivemos uma terceira guerra mundial”. Apenas ainda não nos autodestruímos fisicamente, mas moralmente estamos numa fase nunc

a vista antes de deterioração global de conceitos e valores.

Se as tais potências cósmicas observam com atenção o cenário que temos aqui, certamente reprovarão nossa sociedade. Sim, porque enquanto há alguma melhoria de vida aqui e acola neste planeta, infelizmente ainda somos uma espécie em que integrantes de uma facção controlam a outra decapitando e mutilando inocentes.

Dos 7 bilhões de seres que somos, pelo menos 1 bilhão passa fome todo dia e outro 1 bilhão está em guerra por questões mesquinhas ou religiosas, o que é ainda pior. Boa parte dos conflitos entre etnias ocorrem porque seus integrantes acreditam em um Deus diferente do Deus das outras. Ou seja, matam em nome de seu Deus.

Este é o retrato da Terra e de sua espécie, com certeza um laboratório biológico e sociológico interessante para outras espécies cósmicas. Diante deste triste cenário, talvez sejamos reprovados na “moratória” que nos foi dada e o contato ocorra apenas mais pra frente porque, afinal, um dia ele tem mesmo que ocorrer, é inescapável.

E neste caso ocorrerá porque é parte do que temos como destino, a partir do momento em que o homem expandiu seus limites e extinguiu suas fronteiras aqui mesmo na Terra, e caminha para fazer isso no espaço. E é no espaço onde estas outras espécies cósmicas se manifestam. Assim, encontrá-las é questão de tempo.

Abs, Gevaerd

14/09/2014

Homenagem ao trágico falecimento da Daniela de 28 anos, filha de J. A. Gevaerd, ocorrido em 07 de março de 2015:


24 DE JUNHO, DIA MUNDIAL DOS DISCOS VOADORES

  (enviado em 24/06/2016 na lista da Revista UFO)

A. J. Gevaerd, editor da Revista UFO

Há quase sete décadas surgia o que chamamos desde então de Ufologia. Há 69 anos, para ser preciso, nesta data, o piloto norte-americano Kenneth Arnold avistou nove estranhos objetos voando nos céus do estado de Washington, que, nos anos seguintes, mudariam muita coisa na forma como a humanidade percebe a si mesma e às suas origens. É evidente que seu caso não foi o primeiro de observação de discos voadores, mas foi, até aquele momento, o mais estrondoso e o que acordou a imprensa e a população mundial. Nada mais foi igual a antes e daí surgiu o estudo sistemático do Fenômeno UFO.

Enfim, foi em 24 de junho de 1947 que se implantou o que se convencionou chamar de marco zero da chamada Era Moderna dos Discos Voadores. Não que eles não aparecessem, aterrissassem e até nos abduzissem antes, pois isso tudo vem ocorrendo desde os primórdios da humanidade, e se intensificou nos últimos três ou quatro séculos. Mas foi aquela data, em pleno pós-guerra, que marcou o início das discussões sobre o assunto, o despertar da sociedade e da mídia para a questão da presença alienígena na Terra. Hoje sabemos que, anos antes de Arnold ter dado o alerta, a OTAN já pesquisava o tema secretamente nos últimos anos da Segunda Guerra Mundial.

Mas, lamentavelmente, menos de suas semanas depois do avistamento de Arnold, no começo de julho, com a queda de um disco voador em Roswell, também tinha início a nefasta política de acobertamento ufológico. Sim, ela começou logo que as autoridades norte-americanas descobriram que tais aparelhos voadores vinham de fora da Terra, eram construídos e pilotados por outras espécies cósmicas que detinham muito mais tecnologia e poder do que os seres humanos. Não tardou a imporem sua postura também a outros países, que dependiam dos Estados Unidos.

Ou seja, junto com a possibilidade de se descortinar um novo horizonte para a humanidade, com a constatação de que há muitas outras formas de vida inteligente e amistosa no universo, veio o autoritarismo da censura a esta descoberta. O medo e a ignorância frente ao desconhecido falaram mais alto do que a aventura e a sensação de se explorar e conhecer uma nova realidade para a humanidade: a de se ver parte de um projeto muito maior do Criador, que envolve muitas outras espécies de seres, grande parte deles incrivelmente semelhantes a nós.

Nesta sexta-feira, 24 de junho de 2016, 69 anos depois de tudo ter início, os ufólogos se dividem entre os que tentam vencer aquele medo e a ignorância iniciais com a pesquisa e divulgação diligente e consciente do Fenômeno UFO, para esclarecimento deles mesmos e da população, e os que buscam fazer nossas autoridades verem que sua atitude de silêncio e ocultação dos fatos tem que mudar quanto a esta que pode ser a maior aventura da humanidade: a de saber-se acompanhada por uma infinidade de outras humanidades – ou, talvez, descobrir que a nossa se espalha por muitos planetas, e não se confina à Terra.

Por sorte, ainda que enfrentando renitentes dificuldades, os ufólogos têm logrado sucesso em ambas as frentes, gradual e persistentemente. E assim estão, também de forma lenta, mas segura, levando este planeta a modificar sua postura quanto ao que nos bate à porta. Dessa forma, há de chegar o dia que tais situações serão passado, ou seja, tanto a dúvida sobre novas formas de vida, que ainda persiste no seio de uma sociedade privada dos fatos, quanto a excludente política de censura ao tema mais espetacular que a humanidade teve a possibilidade de tocar.

Logo este novo conhecimento e a certeza da pluralidade de vida inteligente no universo será corriqueiro e estaremos em contato e convívio com estas outras inteligências cósmicas, que, por serem mais avançadas do que nós, chegaram aqui antes de podermos chegar até elas. E aqui demonstram, de um lado, um comportamento de relativo respeito não intromissão em nosso cotidiano e, do outro, um cuidadoso monitoramento de nossos atos. Tal como irmãos mais velhos vendo o que fazem os mais novos e cuidando para que cresçam com boas atitudes. Mas que irmãos mais novos difíceis somos nós…

Creio firmemente que há de chegar o dia em que os nossos limites não se restringirão ao planeta Terra ou ao Sistema Solar, quando seremos capazes de explorar muitos outros pontos do cosmos. Há de chegar o dia em que nossa origem cósmica será plenamente conhecida e que nosso futuro poderá ser traçado com mais sucesso, sem chances para o acaso. Porém, nesta fase de nossa existência, com a participação de nossos vizinhos galácticos. Chegará, enfim, o dia em que veremos que o ser humano nunca esteve e sua sina nunca foi a de estar só neste enorme local que chamamos universo.


Feliz Dia Mundial dos Discos Voadores.

jupiter001


sinal002